Resenha: Hellraiser (The Hellbound Heart)

by - 23:30:00

Olá pessoal, João de volta aqui. Gostaria primeiramente de agradecer à nossa querida Iarima pelo post de apresentação :) e a todas que me deram boas vindas e desejaram sucesso. Sem mais delongas, vamos ao assunto de hoje.

Primeira capa do livro.
Lançado originalmente no Reino Unido em Novembro de 1986, The Hellbound Heart é um livro de terror, escrito por Clive Barker. Obteve uma visibilidade maior no ano seguinte, quando ganhou uma adaptação cinematográfica com o nome de Hellraiser, que teve sete continuações e um remake, se tornando um cult. Em 2015, o livro ganhou uma publicação própria no Brasil, traduzida por Alexandre Callari e publicada pela editora DarkSide® Books. Essa foi a edição que ganhei de presente da minha amada, e farei agora uma resenha sobre.

O livro começa com a história de Frank Cotton, hedonista excêntrico, que após passar a maior parte da sua vida a procura de experiências sexuais cada vez mais extremas, cai em depressão ao acreditar já ter realizado todos os desejos e fetiches possíveis. Sem conseguir aproveitar mais os prazeres da vida, ele então põe as mãos na caixa de Lemarchand, um misterioso objeto que promete prazeres jamais experimentados pelos seres humanos. 


Após abrir a caixa, Frank se depara com algo um tanto diferente do que esperava: Os Cenobitas, seres extra-dimensionais, Teólogos da Ordem de Gash. Com suas peles cinzentas, vestimentas pretas que remetem à fantasias sadomasoquistas e ostentando cicatrizes e mutilações. Estes seres levam-no para sua dimensão e ele descobre que o conceito de prazer destas criaturas está bem distante do conhecido pelos humanos. Após o breve, porém intenso prólogo, então, a história de fato tem seu início quando o irmão de Frank,  Rory, se muda com sua esposa Julia para a casa deixada para os dois irmãos por sua avó, que coincidentemente é a mesma casa onde Frank abriu a caixa.
"Ele cometera um erro terrível ao abrir a caixa de Lemarchand. Um erro terrível."
De leitura rápida e violenta, Hellraiser não é um livro para os de estômago fraco. Sua escrita é visceral, detalhando explicitamente cada cena de horror e fazendo o leitor imaginar os detalhes mais sórdidos. 
Embora o sangue e a violência sejam predominantes no livro, seu primeiro capítulo parece ser quase que inteiramente dedicado a preparar o clima para o leitor. Focando nas relações entre os personagens, mostrando seus sentimentos e criando uma atmosfera para "receber" os acontecimentos posteriores. 
A descrição de cada personagem é direcionada às suas personalidades, falando pouco da aparência física, deixando o trabalho para a imaginação do leitor.

Frank e Rory são personagens opostos. O primeiro é carismático, conquistador, seguro, porém egoísta e insensível. Enquanto em Rory sofre da falta de carisma como pessoa, mas é um marido comprometido e carinhoso. Julia é, visivelmente desde o começo, uma mulher insatisfeita e incompleta. São poucos os momentos em que ela não está tensa, nervosa ou melancólica por algum motivo. Contudo, é descrita como uma mulher linda, de gestos leves e sedutores e dona de um sorriso encantador. A última a ser apresentada é Kirsty, amiga de longa data de Rory (e talvez um antigo romance) que causa bastante incômodo e ciúme em JuliaKirsty é uma jovem frágil e triste, que parece nutrir sentimentos mais fortes do que amizade pelo marido de Julia

Para quem conhece o filme e ainda não leu o livro, obviamente existem muitas diferenças entre os dois (embora o filme também seja obra de Clive). Uma das maiores diferenças, que não considero que seja um spoiler, é que o aclamado Pinhead, vilão que entrou para cultura pop ao lado de Darth VaderJason Vorhees, entre outros, não está presente no livro. Pelo menos não diretamente. Um dos cenobitas é descrito de forma semelhante a Pinhead, possuindo alfinetes cravejados em linhas verticais e horizontais de sua cabeça e seu rosto, porém este não é o líder dos cenobitas, nem mesmo recebe uma nomenclatura ou um aprofundamento como personagem. No livro, o líder dos Cenobitas é conhecido apenas como Engenheiro, e muito pouco dele é explorado.
Em minha opinião, os Cenobitas do filme são mais semelhantes aos grandes vilões do cinema e da literatura, principalmente em suas continuações. No livro eles possuem um ar um tanto indiferente aos seres humanos, como se tivessem apenas "fazendo o seu trabalho" sem nenhum tipo de sentimento ou ambição em relação ao nosso mundo e seus habitantes.

Cenobitas no primeiro filme da série.
O visual da nova edição é uma atração à parte. A capa dura encouraçada, preta, com detalhes em dourado desenhando a caixa de Lemarchand, as ilustrações no interior do livro, é tudo lindo, além do conteúdo do livro ser um presente aos fãs de terror.

Presente da Iaiá.
Fiquei realmente muito feliz e satisfeito com o presente que Iarima me deu e gostaria de agradece-la mais uma vez por isso. Com toda certeza, é um livro que recomendo para fãs de terror e de literatura em geral. Esta foi minha primeira resenha sobre qualquer coisa, então, espero que tenham gostado, que ignorem qualquer erro ou deslize meu e que se sintam intimados a ler e assistir Hellraiser
Me despeço por aqui, vou deixar alguns links e curiosidades aqui em baixo. Até a próxima, paz a todos.

Link para o filme de 1987: https://www.youtube.com/watch?v=P7TWm3Akw-s
Link para a página oficial do livro no site da Darkside Books: http://www.darksidebooks.com.br/hellraiser-renascido-do-inferno/

Curiosidades:
* Barker escreveu The Hellbound Heart já com o propósito de adapta-lo para o cinema.
* Hellraiser foi sua estreia como diretor de filmes.
* A história faz parte do terceiro volume da coletânea chamada Night Visions, editada por ninguém mais, ninguém menos do que George R.R. Martin, o criador de Game of Thrones.

                              
"Eu vi o futuro do horror... Seu nome é Clive Barker." - Stephen King.

*Para fins de direitos autorais, declaro que as duas primeiras imagens são do Google e a duas últimas são de reprodução própria.

You May Also Like

2 COMENTÁRIOS

  1. Confesso que ando super medrosa para qualquer coisa que seja de terror. Mas adorei a resenha, parece ser um ótimo livro. bjuxxx
    www.taayvargas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!! De fato é um ótimo livro, aconselho perder o medo e dar uma conferida hahahah.

      Excluir